Uma procissão automóvel pelas ruas da cidade e a proibição do acampamento na Caldeira de Troia marcam a edição deste ano das Festas de Nossa Senhora do Rosário de Troia, que decorrem entre os dias 19 e 24 de agosto.

A pandemia Covid-19 motiva alterações ao programa e medidas especiais para cumprir as diretrizes das autoridades de saúde no decorrer das festas anuais da comunidade piscatória setubalense, organizadas por uma comissão própria, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, entre outras entidades.

O acampamento na Caldeira não é permitido este ano e apenas se realizam as cerimónias religiosas, em Setúbal e Troia, com um número limitado de participantes tendo em conta os lugares disponíveis em cada espaço, que têm início com um tríduo em honra de Nossa Senhora do Rosário de Troia, nos dias 19, 20 e 21, às 21h30, na Igreja de São Sebastião, em Setúbal.

A 22, às 15h30, no cais 3 do porto de Setúbal, realiza-se uma missa por alma dos marítimos falecidos e às 16h30 um círio fluvial leva a imagem de Nossa Senhora do Rosário de Troia para a Caldeira onde, nos dias 23 e 24, às 10h30, são celebradas missas em honra dos marítimos falecidos e familiares.

A 24, o círio fluvial de retorno a Setúbal da imagem de Nossa Senhora do Rosário de Troia parte da Caldeira às 17h00 e passa pelo meio do rio, para evitar a aglomeração de pessoas na zona ribeirinha a aguardar a chegada das embarcações, no âmbito das medidas de contenção da pandemia Covid-19.

Para que os setubalenses possam dar as boas-vindas à imagem da padroeira dos pescadores esta será transportada de carro, numa procissão automóvel que percorre várias ruas da cidade, com saída da Doca das Fontainhas às 19h00.

Após passar pela Avenida Luísa Todi, a caravana prossegue para a Fonte Nova, com passagem pelas praças Marquês de Pombal e Machado dos Santos e ruas Paulino de Oliveira e José Carlos da Maia.

A procissão sobe, depois, a Avenida S. Francisco Xavier em direção às ruas Batalha do Viso e Associação de Moradores, Praça da Reboreda e ruas Nossa Senhora dos Aflitos, Nossa Senhora do Carmo e Alves da Silva. Segue-se passagem pela Avenida General Daniel de Sousa, ruas Fernando Santos e Jorge de Sousa, avenidas Alexandre Herculano e Guiné-Bissau e Praça do Brasil.

A caravana automóvel que transporta a imagem de Nossa Senhora do Rosário de Troia segue pela Rua António José Batista em direção à Praça de Portugal de onde prossegue para a Avenida Infante D. Henrique e Praça Olga Morais Sarmento.

A procissão entra no Bairro Afonso Costa peça Praça D. Paio Peres Correia e passa pela Rua São João de Deus em direção aos bairros da Camarinha, Vale do Cobro, de onde prossegue pela Avenida Bairro da Liberdade e ruas Eça de Queiroz e Libânio Braga.

A caravana automóvel percorre, depois, as avenidas Bento de Jesus Caraça, Soeiro Gomes e da Bela Vista e prossegue para as zonas do Faralhão e Praias do Sado.

De regresso à cidade, a procissão segue pela Avenida D. Manuel I, ruas D. Pedro Fernandes Sardinha, Estevão de Liz Velho, Camilo Castelo Branco e Fontaínhas e termina, após passagem pelo Jardim do Quebedo, na Igreja de São Sebastião

A população é convidada a enfeitar as janelas com colchas e a saudar a passagem da imagem de Nossa Senhora do Rosário de Troia com lenços brancos e flores.

É obrigatório o uso de máscara para a participação em todos os eventos, incluindo os que se realizam ao ar livre, bem como a desinfeção das mãos e o cumprimento do distanciamento físico.

Além de não ser permitido o acampamento, está, igualmente, proibida a permanência de embarcações na Caldeira de Troia, entre os dias 21 a 24.