“NO TEMPO DAS CARAS SÉRIAS”

Havia um tempo, não muito distante deste em que vivemos, que era o tempo das caras sérias, dos ouvidos moucos, das bocas caladas, em que as próprias ideias não podiam voar para fora das gaiolas que haviam dentro das cabeças.
Era um tempo em que se tinha de pensar muito bem o que se dizia, e em que não se podia dizer muito bem o que se pensava. Era um tempo ruim, o das caras sérias, por isso, os que não andavam tristes, andavam zangados.
Havia porém outros homens, como o Zeca Afonso, que, ao cantar melodias vivas e coloridas, distribuía alegria e esperança aos corações dos que o ouviam.
A sua música, sem querer, por ser simples e viva e tocada com amor, ia contra a regra das caras sérias, dos ouvidos moucos, das bocas mudas. Com ela, as caras ficavam alegres, rosadas pelas danças, os ouvidos enchiam-se das suas notas, atentos, e as bocas trauteavam a sua melodia e arriscavam rimas espertas, que, não querendo dizer nada, diziam tudo.

Inspirado no texto de Ana Brito (AJA)
José Nobre
Micaela Castanheira
Cláudia Loureço (ECOS – Sons de Sentir)

25 de Abril | 17h00 -> ECOS Sons de Sentir
Inscrições:
Tel.: 265 236 168
casacultura@mun-setubal.pt
Entrada gratuita

28 de Abril | 15h00 -> Sala José Afonso | Casa da Cultura de Setúbal
Inscrições: ecos@sonsdesentir.pt
VALOR | 4 EUROS (por pessoa)

Integrado nas Comemorações do 25 de Abril
José Afonso 90º aniversário

Org.: Câmara Municipal de Setúbal
Parceria: Associação José Afonso de Setúbal
Parceria: ECOS – Sons de Sentir