Estado de calamidade foi prolongado até ao final do mês em todo o país.

Os centros comerciais de em Lisboa e Vale do Tejo reabrem na próxima segunda-feira, 15 de junho, avança o primeiro-ministro, António Costa.

“Decidimos eliminar a partir de segunda-feira as restrições que ainda existem diferenciadas em relação ao conjunto do país, designadamente permitir a abertura dos centros comerciais de acordo com as regras da Direção Geral da Saúde”, anunciou António Costa no final do conselho de ministros.

No conjunto do território nacional continuarão a vigorar, até ao final do mês, as regras atualmente em vigor, adiantou o primeiro-ministro.

António Costa explica que a manutenção do estado de calamidade não é por causa de um agravamento da pandemia de Covid-19, mas devido a este ser um período tradicionalmente de grandes ajuntamentos, como os Santos Populares, reabertura das fronteiras aéreas aos países europeus na próxima segunda-feira e de “um elevado número de feriados”, disse António Costa.

“As medidas de desconfinamento não podem significar qualquer tipo de relaxamento quanto às regras de distanciamento, proteção individual e higienização”, sublinha.

Se Portugal continuar a evoluir positivamente no combate à pandemia de Covid-19, “a nossa previsão é que a partir de 1 de julho possamos fazer alteração do estado de calamidade para o estado de contingência” e, em algumas regiões como Alentejo ou Algarve, para “mero estado de alerta”, adiantou António Costa.