Os 45 anos do 25 de Abril são assinalados em Setúbal com um programa organizado pela Câmara Municipal e pelas juntas de freguesia, com o envolvimento do movimento associativo, com diversas atividades entre abril e maio.

Um espetáculo com o músico Jorge Palma, dia 24, às 22h00, na Praça de Bocage, é um dos destaques das celebrações, que assinalam, igualmente, os 90 anos do nascimento de José Afonso.

No final do concerto, às 23h30, a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, profere um discurso comemorativo, e o público é convidado a seguir numa arruada pelas ruas da cidade até à Doca dos Pescadores, local onde, a partir das 00h00, um espetáculo pirotécnico dá as boas-vindas ao dia da Liberdade.

A noite prossegue na Sociedade Musical Capricho Setubalense com o concerto “Utopias – Com o Zeca e o Palma”, em que Joaquim Costa, piano, Jorge Patrício, voz e viola, e Paulo Sequeira, baixo e percussões, interpretam temas dos dois cantautores.

No dia 25, realizam-se as cerimónias protocolares comemorativas da Revolução dos Cravos, a partir das 09h00, nos Paços do Concelho, com o hastear da bandeira, a que se segue, meia hora depois, uma homenagem aos antifascistas na placa central da Avenida Luísa Todi, com deposição de flores no Monumento à Resistência, iniciativa organizada pela autarquia em conjunto com a URAP – União de Resistentes Antifascistas Portugueses

O programa segue para a Praça de Bocage onde, às 10h00, há uma sessão solene da Assembleia Municipal, que inclui uma homenagem a José Afonso, e, às 11h30, um concerto pela Banda Filarmónica da Sociedade Musical Capricho Setubalense.

A partir das 12h30, o Executivo municipal realiza um périplo pelas atividades dinamizadas nas freguesias do concelho.

Durante a manhã, são, igualmente, de assinalar a realização da Festa de Abril, com início às 10h00, nos bairros Grito do Povo e dos Pescadores, e a inauguração do espaço Nosso Bairro, Nossa Cidade, na Rua do Monte, na Bela Vista.

À tarde, às 17h00, na Casa do Largo, é inaugurada a exposição coletiva audiovisual “Grito da Liberdade”, sobre o panorama musical setubalense desde 1974, que pode ser visitada até 26 de maio, todos os dias, entre as 10h00 e as 18h00.

O concerto “Grito da Liberdade”, que assinala os 90 anos do nascimento de Zeca Afonso com reinterpretações de temas do cantautor por vários jovens artistas setubalenses, encerra as comemorações no dia 25 de abril.

Entre abril e maio, são muitas as atividades dinamizadas pela autarquia para comemorar os 45 anos da Revolução dos Cravos.

No dia 7 de abril, o filme de Christian Duguay “Os meninos que enganavam os nazis” é exibido no Espaço 50 Cuts. A sessão, que inclui uma conversa informal moderada por Alberto de Sousa Pereira, tem início às 16h00.

A 12, às 18h00, na Galeria de Exposições da Casa da Cultura, é inaugurada a exposição “Por Terras de Zeca”, com trabalhos do ilustrador Pedro Sousa Pereira, patente até 28 de abril. Segue-se, meia hora depois, a apresentação de “José Afonso ao vivo”, um conjunto composto por um livro de Adelino Gomes, um vinil e dois CD com concertos inéditos.

À noite, a partir das 21h30, no Fórum Municipal Luísa Todi, Zeca Medeiros, Filipa Pais, Maria Anadon e João Afonso prestam tributo a José Afonso no espetáculo de estreia da digressão “Por terras de Zeca”, que vai percorrer todo o país.

Os bilhetes têm o custo de 11 euros, para a plateia, e 9, para o balcão.

No dia seguinte, às 16h00, na Galeria Municipal do 11, é inaugurada a exposição fotográfica e documental sobre os 45 anos da Revolução dos Cravos e os 90 do nascimento de José Afonso “45.90”. A mostra pode ser visitada até 25 de maio, de terça a sexta-feira das 11h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 e ao sábado das 14h00 às 18h00.

A 17 de abril, às 21h30, na Casa do Largo, a liberdade é o mote para a sessão de spoken word e open mic “Poesia Sem Vergonha #2”, com Raquel Lima e convidados.

Um ciclo de debates, às 17h00, na Casa da Cultura, tem início a 21 de abril, com a sessão “O 25 de Novembro e os Media Estatizados”, com a participação do jornalista Ribeiro Cardoso. Em maio, a 5, o general Pezarat Correia e o coronel Baptista Alves falam sobre “Os Caminhos Cruzados de Abril” e, a 12, os jornalistas José Goulão e Paulo Pena abordam “As fake news ou o obscurantismo do século XXI”.

O programa comemorativo do 25 de Abril e dos 90 anos do nascimento de José Afonso inclui, a 26 de abril, às 21h30, no Fórum Municipal Luísa Todi, o espetáculo musical ComTradições, com Samuel Úria e Lavoisier, com bilhetes a 10 euros.

No dia 27, numa iniciativa com início às 10h00, no Centro Multicultural da Quinta de Santo António, moradores dos cinco bairros abrangidos pelo programa municipal Nosso Bairro, Nossa Cidade fazem o ponto de situação das propostas apresentadas no 4.º Encontro de Moradores.

A partir das 16h00, há “Conversas sobre Saúde – Serviço Nacional de Saúde”, no auditório da Casa da Baía, numa sessão com a participação da diretora-geral de Saúde, Graça Freitas, e do presidente da Assembleia Municipal de Setúbal, André Martins.

À noite, às 22h00, o coletivo O Grupo leva à Casa da Cultura a peça “O Libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor”, adaptada da obra de Luiz Pacheco, com encenação de António Olaio e interpretação de André Louro. Os bilhetes, à venda no Fórum Municipal Luísa Todi, têm o custo de 4 euros.

O cinema está em destaque no dia 28, com a exibição do filme “A Cantiga era uma Arma”, de Joaquim Vieira, às 16h00, no Cinema Charlot – Auditório Municipal, com a presença do realizador.

À mesma hora, no Espaço 50 Cuts, na sessão “Contem-nos como era…”, um painel de convidados lembra, através do cinema, da poesia e da música, experiências vividas durante o fascismo em Portugal.

Às 18h00, a Associação José Afonso promove uma tertúlia sobre os discos “Baladas e Canções” e “Cantares do Andarilho”, na Casa da Cultura, com a participação de Viriato Teles e Rui Pato.

A 30 de abril, às 18h00, no Moinho de Maré da Mourisca, é inaugurada a quarta exposição de artes plásticas dos trabalhadores da Câmara Municipal de Setúbal, no âmbito da iniciativa “Entre Nós”, com o título “A Cidade do Rio Azul”. A mostra fica patente até 26 de maio.

Ao longo dos meses de abril e maio, a autarquia promove, igualmente, um conjunto de atividades dirigidas à comunidade educativa, como exposições, debates, sessões de sensibilização sobre a Revolução dos Cravos, em parceria com a URAP – União de Resistentes Antifascistas Portugueses, a exibição de um documentário e um peddy-paper.

Além do programa central, a celebração dos 45 anos da Revolução dos Cravos engloba um conjunto diversificado de iniciativas, desenvolvidas pelas juntas de freguesia e movimento associativo do concelho.